NOTÍCIAS

O céu ficará repleto de drones

O céu ficará repleto de drones

Os drones, essas pequenas aeronaves não tripuladas das quais toda gente fala, não são uma invenção deste século, por incrível que pareça, são do final do século XIX.
O primeiro avião não tripulado surgiu na Áustria, em 1849, onde pela primeira vez foram fabricados 200 dirigíveis que lançaram bombas contra Veneza. Também durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial foram utilizados aviões militares sem piloto com o objetivo principal de realizar fotografias aéreas para vigiar os movimentos do inimigo e para destruir cidades inteiras.
Hoje, os drones de uso profissional continuam a ser essenciais em trabalhos de Intelligence e combinam a capacidade de vigilância com o facto de serem eles mesmos armas. Enquanto militarmente se trabalha na integração de drones cada vez mais sofisticados, do ponto de vista civil começa-se a utilizar outros para uma infinidade de usos cada vez mais interessantes. Em alguns casos, estes aparelhos, que pesam entre 2 e 25 quilos em média, substituem as tarefas os aviões e helicópteros porque podem ser mais baratos e eficazes.
Segundo a Gartner, consultora especializada no setor tecnológico, prevê-se que em 2017 sejam vendidas mais de 174.000 unidades para uso comercial, números que continuarão a aumentar nos próximos anos até chegar aos 11 mil milhões e 800 milhões de euros em vendas até o ano 2020.

O espetáculo está servido
Há poucos meses, os espectadores da Super Bowl, o principal campeonato profissional de futebol americano, apreciaram um show de Lady Gaga com um céu repleto de luzes. Isto foi possível graças aos 300 drones da Intel que cruzaram o céu, iluminando-o com LEDs. Pedir uma pizza que não chegue numa mota também é possível. Até agora, só uma empresa russa serve pizza os clientes utilizando pássaros metálicos que entregam os pedidos de forma rápida e segura.

Provas e grafites
As salas de aula também começam a ver drones. Na China, por exemplo, nos exames é habitual que os drones fiscalizem os alunos de forma silenciosa, evitando assim que copiem de outros ou que usem cábulas. Tais aparelhos também podem detetar sinais de rádio e comprovar se os estudantes utilizam fones de ouvido ou óculos com câmaras incluídas. Na Alemanha, também estão a ser empregados drones para identificar as pessoas que fazem uso de comboios.

Prevenção de pragas e incêndios
Nem todos os usos são tão impressionantes. Atualmente, os drones também são utilizados para que importantes setores da economia evoluam. É o caso do setor agrícola, um dos que mais rapidamente comprovaram como um drone pode ser útil para revolucionar o campo. Os drones são capazes, por exemplo, de analisar e detetar problemas em cultivos, proporcionar o tratamento necessário e otimizar os custos de fertilizantes e agrotóxicos. Também no setor florestal, os drones permitem atualmente realizar inventários e classificar espécies em grandes superfícies, bem como detetar pragas por intermédio de câmaras e prevenir incêndios.

Salvamento e ajuda humanitária
Estas aeronaves também estão a abrir espaço em crises humanitárias por intermédio de grandes organizações que começam a utilizá-las para elaborar um mapa dos assentamentos de refugiados, avaliar as necessidades dos desalojados, organizar o seu registo e planear os serviços de saneamento, saúde e educação convenientes. Também no momento de encontrar uma pessoa desaparecida ou que se encontra no local onde houve uma catástrofe, é muito útil utilizar drones que venham com sensores térmicos ou que sobrevoem áreas de difícil acesso.

Viajar de táxi
O que sem dúvida impressionará a muitos será ver drones sobrevoando o céu e transportando passageiros. O que parecia ficção científica já não é. No Dubai será possível apanhar um táxi que voe sem piloto e que transporte um passageiro pela cidade, a partir de junho. Bem, é verdade que os interessados não poderão pesar mais de 100 quilos, só poderão viajar com uma pequena peça de bagagem e realizar um percurso não superior a 30 minutos e 50 quilómetros de distância. O trânsito já não será desculpa para chegar tarde no trabalho.
Não existe dúvida de quanto estas aeronaves podem facilitar o trabalho. Há pouco tempo, um hotel sofreu um incêndio e, graças à utilização de um drone, foi possível chegar rapidamente e conhecer a extensão dos danos e a origem do incêndio. Tudo isto de forma ágil e sem que o perito corresse nenhum risco.