NOTÍCIAS

IoT no mundo do seguro e do segurado

IoT no mundo do seguro e do segurado

A Internet das Coisas, conhecida pelas suas siglas em inglês IoT (Internet of Things), prevê-se que seja uma grande revolução em todos os aspetos da vida e em todos os sectores, desde os mais simples aos mais complexos.

Ao tratar-se de todo o tipo de dispositivos ligados à rede, como relógios, wearables, smartphones, televisores, eletrodomésticos, carros, entre outros, as possibilidades são imensas. E o sector segurador, assim como o próprio segurado terão de se adaptar a este novo cenário. Em alguns sectores está muito claro que há que desenvolver novas políticas e há que haver uma adaptação a um cenário completamente novo, como, por exemplo, no mundo do automóvel sem condutor.

Segundo um estudo publicado por FC Business Intelligence, os seguros mais generalistas serão os que maior impacto da IoT terão no futuro (52.7%), enquanto os seguros de saúde (22.1%) e os seguros para profissionais (19.9%) serão outros dos mais beneficiados pela IoT.

Existe um tema muito interessant no que toca ao mundo segurador e a IoT, que consiste em compreender como e/ou porquê pode este influenciar o segurador e o segurado.  Por exemplo: o segurado dispõe (e falamos de um futuro próximo hipotético) de uns wearables que monitorizam os seus dados vitais (pulsação, tensão, nível de oxigénio no sangue,...). Graças a essa monitorização em tempo real, o cálculo do risco para um seguro de saúde é muito mais simples e preciso, sendo por isso possível de ajustar melhor as apólices individuais e oferecer coberturas personalizadas ao segurado.

Fonte: Blog MAPFRE