NOTÍCIAS

Em caso de emergência: PROTEGER, AVISAR E SOCORRER

Em caso de emergência: PROTEGER, AVISAR E SOCORRER

Em caso de acidente

PROTEGER. É preciso proteger a(s) vítima(s), mas também se deve ter em conta que se quiser socorrer o acidentado, não deve colocar sua vida em perigo; a primeira orientação é ter cuidado consigo mesmo.

ALERTAR Após avaliar a situação, avise o serviço de atendimento de urgência e proporcione as informações que forem solicitadas da maneira mais concreta possível. Para isso, é muito importante saber indicar a localização geográfica do lugar onde está, e nesse sentido pode ser muito útil possuir no telemóvel com uma aplicação de geolocalização, já que se faz a ligação através do aplicativo, o centro de coordenação pode visualizar a sua localização.

SOCORRER. Enquanto o serviço de atendimento de urgência não chega, deve seguir as instruções dadas por telefone e colocar em prática os seus conhecimentos de primeiros socorros, se tiver.
Das diferentes situações ou lesões que podem ser encontradas, as paragens cardiorrespiratórias, os engasgos e as hemorragias externas de vasos sanguíneos de grande calibre são as que podem comprometer num breve período de tempo a vida do acidentado; nestes casos, agir rapidamente pode evitar lesões maiores e inclusive salvar uma vida.

 

O serviço de atendimento de urgência indicará os procedimentos a seguir se estivermos a socorrer um acidentado.

Paragens cardiorrespiratórias
Seria fundamental que todos nós recebêssemos formação para realizar uma reanimação cardiopulmonar (RCP), já que a aplicação correta desta técnica duplica ou triplica as possibilidades de sobrevivência.

Engasgos
A primeira coisa é tentar fazer com que a pessoa que engasgou tussa; a tosse é um mecanismo de defesa e às vezes é suficiente. Se apesar disso a pessoa não puder tossir, for incapaz de falar ou mostrar sinais de falta de ar, como colocar as mãos no pescoço, é preciso pedir ajuda e agir com rapidez para que a pessoa expulse o corpo estranho que está provocando o engasgo e a via aérea seja libertada, através de uma manobra conhecida como manobra de Heimlich, outra técnica que deveríamos conhecer.

Hemorragias
É preciso agir de forma imediata fazendo pressão sobre a ferida durante 10 minutos. O torniquete é uma técnica que não deve ser realizada por risco de isquemia da extremidade.
Segundo Miguel Ángel Martín Sanchez, chefe do Serviço de Prevenção Conjunto da MAPFRE ESPANHA, "não devemos ter medo de agir em situações de urgência médica; não se trata de substituir o pessoal de saúde, nem de ser heróis, mas sim nosso objetivo é agir imediatamente, até a chegada do serviço de urgência".
 


Favorecer a tosse é a primeira medida em caso de engasgo; se não, é suficiente utilizar a manobra de Heimlich.

COMO DEVO AGIR SE FOR TESTEMUNHA DE UM ACIDENTE DE TRÂNSITO?*
Estabelecer contato telefónico com o serviço de urgência para pedir ajuda e orientação e seguir as suas instruções. Como regra geral, deve-se:

  • Não resgatar pessoas em veículos instáveis.
  • Tirar a chave de contato do veículo e não manipular a zona do painel (por perigo de ativação do airbag numa segunda fase).
  • Realizar a abertura da via aérea da vítima se necessário, retirando corpos estranhos e elevando o seu queixo.
  • Comprimir as feridas com sangue.
  • Não mobilizar as vítimas se não se tiver conhecimentos, salvo em situações de risco por incêndio ou explosão iminente.
  • Proteger as vítimas do frio ou do calor.
  • Não dar nenhuma bebida ou comida às vítimas até que sejam examinadas por um profissional da saúde.
  • Afrouxar as roupas apertadas.
  • Não remover o capacete.
  • Manter o apoio telefónico, se necessário, até chegarem os recursos de saúde.

*Recomendações para pessoas que não trabalham na saúde (cidadania em geral), segundo o "Protocolo de ação e melhores práticas no atendimento primário a vítimas de acidentes de trânsito", realizado pelo grupo de trabalho da Sociedade Espanhola de Urgências e Emergências (SEMES) e publicado em 2010 pelo Ministério da Saúde espanhol.