NOTÍCIAS

Conselhos de segurança digital

Conselhos de segurança digital

Na era da “democratização digital”, o número de cidadãos que tem ligação à Internet cresce diariamente. A generalização do uso da Internet trouxe inúmeras vantagens, mas está associada, por outro lado, a certos inconvenientes. O risco mais alto é a possibilidade de que terceiros acedam aos nossos dados impunemente. Depende, em grande parte, de cada um de nós evitar que esses convidados indesejados invadam a nossa vida.
 
Métodos infalíveis não existem, mas é possível começar a aumentar a guarda e deixar de lado essa sensação de confiança daqueles que acham que estas coisas só acontecem aos outros. O segredo não é ter medo de usar os meios digitais que estão ao nosso alcance, mas sim crescer como cidadãos digitais responsáveis e estar consciente das normas básicas para usar a Internet de modo seguro. Esta atitude também é a que deve ser adotada pelas empresas na hora de enfrentar os riscos que nos rodeiam e trabalhar para aprimorar a experiência dos clientes.
 
Opções ao nosso alcance
Computador, notebook, smarphone, tablet, smart TV, smart watches… as nossas opções de ligação aumentam sem parar e, com elas, os locais em que parte das nossas informações particulares é armazenada, como a agenda, senhas, e-mails, fotografias, vídeos, etc. Em primeiro lugar, é conveniente saber bem quais são as opções de segurança que cada dispositivo ao qual nos conectamos nos oferece e, nos casos em que seja possível, nos protegermos com uma solução de segurança idealizada especificamente para isso, como antivírus ou outras aplicações específicas. É importante também que o software ou o sistema operacional de base (Windows, MacOS, iOS, Android, etc.) de cada dispositivo esteja atualizado, considerando que as versões mais recentes preveem as últimas lacunas de segurança que foram detetadas.
 
A configuração das opções de segurança não fica só nos nossos dispositivos. Cada app, a maioria dos sites e, é claro, todas as redes sociais (acedendo-as de uma forma ou de outra) têm configurações de privacidade próprias. No caso dos apps, normalmente esse espaço é representado por uma engrenagem. Geralmente, entramos nesse espaço na primeira vez que acedemos um site ou uma aplicação, mas geralmente ele cai em esquecimento. No entanto, é bom conferir esse espaço de vez em quando. Além disso, as políticas de privacidade dos websites mudam continuamente. Apesar de que estão obrigados a avisar-nos, é importante conferir essas políticas.
 
Outro aspeto fundamental na hora de se proteger tem a ver com a utilização de senha. Para ser considerada de segurança alta, é recomendado usar no mínimo 12 caracteres na senha, entre eles, letras maiúsculas, minúsculas, símbolos e números. Não é recomendado usar a mesma combinação em mais de uma aplicação ou dispositivo porque, se houver vulnerabilidade em algum serviço, e os códigos forem filtrados (como aconteceu com a Adobe, por exemplo), os piratas teriam maior facilidade aceder.
 
O download de software ou arquivos de áudio e vídeo sem licença não só é ilegal, mas é também uma das maneiras que os piratas cibernéticos utilizam para entrar nos nossos dispositivos. No fim das contas, tudo se resume a observar algumas regras básicas que também são aplicáveis ao mundo off-line: principalmente, tomar cuidado e ter bom senso.